Horário de Brasília

MINISTÉRIO INTERNACIONAL SHALOM

MINISTÉRIO INTERNACIONAL SHALOM
Orem pela paz de Jerusalém (SL 122:7)

Sejam bem vindos.

Que o Deus de paz possa ensinar a vocês através desse blog.

Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 16 de março de 2014

As "Luas Sangrentas"de 2014 e o Apocalipse

    Nesse ano de 2014 um fenômeno misterioso e raro vai acontecer: as luas sangrentas, fenômeno esse em que as luas se tornam vermelhas como sangue, obviamente. E em meio a revelação das datas desses fenômenos, muitas coisas já foram ditas e é preciso se esclarecer algumas. Esse texto vem mostrar o que esse fenômeno tem a ver com uma profecia apocalíptica.
    Algo que chama a atenção é que essas datas acontecerão em feriados judaicos. Dias em que os judeus comemorarão a Páscoa e a Festa dos Tabernáculos. Em meio a isso um eclipse solar acontecerá em março do próximo ano, antes que aconteça as duas luas sangrentas de 2015, ambas, também na Páscoa e na Festa dos Tabernáculos. Esses fatos levaram a um texto bíblico antigo que nós usaremos como base e explicação sincera.
    O texto é esse: "E, havendo aberto o sexto selo, olhei, e eis que houve um grande tremor de terra; e o sol tornou-se negro como saco de silício, e a lua tornou-se como sangue" (AP 6:12). Podemos ver por esse texto uma profecia que nos fala algo parecido com esse fenômeno.O fato de as datas também serem em datas importantes para os judeus, chama a atenção para o cumprimento do Apocalipse já esse ano.
 
Lua sangrenta. Fenômeno acontece
esse ano em datas judaicas.
Por causa disso, muitas pessoas estão dizendo que isso se trata de um sinal de Deus. Algo que o  Senhor quer nos revelar sobre o futuro da humanidade e do seu povo. Baseado nisso vou comentar essas explicações de acordo com a interpretação dispensacionalista do Apocalipse, que é a que acredito ter mais coerência bíblica.
    Esse texto citado acima, se encontra numa sessão de Apocalipse conhecida como pragas dos selos, quando o Cordeiro, ressurreto, abre o livro selado e começa a julgar a humanidade. Só que esse versículo se refere ao sexto selo. Antes dele há mais cinco que não se tem referência: os quatro cavaleiros e os mártires debaixo do altar (AP 6:1-11). E os selos estão em ordem cronológica, como se vê no texto (primeiro, segundo, etc). Sendo assim, é impossível que esse versículo se refira a esse fenômeno.
   Seguindo o texto de Apocalipse, vemos esse versículo: "E as estrelas do céu caíram sobre a terra, como quando a figueira lança de si os seus figos verdes, abalada por um vento forte. E o céu retirou-se como um livro que se enrola; e todos os montes e ilhas foram removidos do seu lugar" (AP 6:13,14). Observemos que o texto faz referência há uma chuva de meteoritos e há um sinal que acontecerá, em que o céu se enrolará. Logo após o sol se enegrecer e a lua sangrar. Mais uma vez essa ideia é refutada.
    Mas tem algo que precisa acontecer para se vim as pragas dos selos: o arrebatamento. Descrito em I CO 15:51-58 e em I TS 4:13-18, que para nós, dispensacionalistas, ocorrerá antes da Tribulação. Quando a igreja for arrebatada, dará início um período conhecido como Grande Tribulação, onde esses sinais ocorrerão. É claro que o arrebatamento pode acontecer até lá, mas os sinais dos selos tem que acontecer também.
    Outro fato curioso é que algumas pessoas citaram o Anticristo, como se o cenário estivesse pronto para ele. Mas ele aparece no primeiro selo com a seguinte referência bíblica: "E, havendo o Cordeiro aberto um dos selos, olhei e ouvi um dos quatro animais, que dizia, como em voz de trovão: Vem e vê. E olhei, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele tinha um arco; e foi-lhe dada uma coroa, e saiu vitorioso e para vencer" (AP 6:1,2). Dessa forma, ele precisa reinar antes dos sinais cosmológicos descritos, sendo o primeiro dos selos.
    Pois bem, vemos que esses fenômenos, apesar de estarem em feriados judaicos, nada tem a ver com o Apocalipse. Se você acha que sim, escute a mensagem de Jesus: Arrependei-vos e preparem-se para o dia em que Ele nos chamará, pois Ele nos promete que não veremos estes sinais (AP 3:7). Não temos, pois, que temer, temos que anunciar a verdade e mostrar que Deus nos fala a cada dia e que esses sinais são normais. Shalom a todos.

Bibliografia:
BUTER JR., A. Loyd, Bíblia de Estudo Defesa da Fé, CPAD, Rio de Janeiro, 2010.
http://fatosdesconhecidos.com.br/post/estao-preparados-para-as-luas-sangrentas/1639
http://www.agapereconciliacao.com.br/v3/artigo.asp?id=96
http://3.bp.blogspot.com/-0DE5Q23GOlM/TuKx-Ke0BSI/AAAAAAAAALc/oSu7Bz4TpZk/s1600/A-lua-vermelha.jpg

sábado, 1 de março de 2014

Textos bíblicos sobre o Carnaval

"Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz. Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser. Portanto, os que estão na carne não podem agradar a Deus" (Romanos 8:6-8).

"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas me convêm; todas as coisas me são lícitas, mas eu não me deixarei dominar por nenhuma" (1 Coríntios 6:12 cf. 10:23).

"Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis, então, da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor" (Gálatas 5:13).

"Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus" (Gálatas 5:19-21).

"Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes" (Tiago 4:4,5).

"Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte" (Provérbios 14:12).

"Aborreço, desprezo as vossas festas, e as vossas assembleias solenes não me dão nenhum prazer" (Amós 5:21).

"Ai dos que puxam pela iniquidade com cordas de vaidade e pelo pecado, como se fosse com cordas de carros! E dizem: Apresse-se e acabe a sua obra, para que a vejamos; e aproxime-se e venha o conselho do Santo de Israel, para que o conheçamos. Ai dos que ao mal chamam bem e ao bem, mal! Que fazem da escuridão luz, e da luz, escuridade, e fazem do amargo doce, e do doce, amargo" (Isaías 5:18-20). 

Bibliografia:
STAMPS, Donald, Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, Rio de Janeiro, 2008.


sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A posição das igrejas evangélicas frente a violência no futebol

    Como todo brasileiro sou apaixonado por futebol. Assisto, comento, falo sobre o assunto com meus amigos e colegas de trabalho igual a qualquer pessoa que ama o esporte mais praticado no mundo. E essa postagem surgiu de um sentimento de atitude frente ao que está acontecendo.
    A cada domingo que passa cada vez mais cenas de violência se repetem dentro e fora dos nossos estádios. Cenas fortes de selvageria que mostram os brutos torcedores com pedaço de pau, ferro ou outras coisas agredindo outros torcedores. As cenas se repetem e mostram crianças sendo retiradas com medo dos locais de confusão.
O futebol deveria unir as pessoas e não separá-las.
    Pois bem, o objetivo desse estudo é demonstrar algo que nunca foi falado por ninguém: o nosso papel frente essa violência. Como povo de Deus devemos ser contra todas as formas de violência. A Bíblia nos diz: "E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos se esfriará" (MT 24:12). O texto nos mostra que o que gera o esfriamento é a multiplicação da iniquidade. O fato das brigas serem "normais" e não serem punidas, faz com que haja um aumento da iniquidade.
    O que devemos fazer, como povo de Deus, para evitar isso? Em primeiro lugar, devemos mostrar aos nossos jovens que o futebol é apenas uma diversão e que não devemos fazer disso a nossa vida. É algo cultural, frugal, que existe para nos prender .
    Em segundo lugar, devemos mostrar que torcer para um time de futebol é algo que pode nos tirar a salvação. Sim, exatamente isso. Quando colocamos o time de futebol em posição superior ao Senhor Jesus, perdendo culto para acompanhá-lo, gastando mais com ele do que com a obra de Deus, idolatrando-o como algo que eu não viva sem, tudo isso pode ser um deus estranho na minha vida e me levar para o inferno.
    E, por último, mostrar aos nossos jovens que os torcedores rivais são apenas torcedores. Eles tiveram o direito de escolha e, por isso, não torcem pelo mesmo time que nós. São rivais, não são inimigos. São pessoas comuns que tem no futebol a sua alegria já que somos uma nação sofrida.
     Muito bem, a única forma para acabar com a violência é punir seus autores. Não sou contra torcer por um time, sou contra usar isso pra matar, morrer ou idolatrar como uma causa maior. Que Deus nos abençoe para que essa violência passe e que possamos orar para que o futebol não tome o lugar que é só dEle. Shalom a todos.

Bibliografia:
STAMPS, Donald, Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD, Rio de Janeiro, 2008.
http://www.paulista900.com.br/?p=5063

sábado, 11 de janeiro de 2014

A "Cura Gay" e a Bíblia

    Desde que o PDL 234/2011 foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM), muita polêmica foi levantada sobre ele, dizendo que isso seria uma forma de intitular o homossexualismo como uma doença que precisa de cura. Esse artigo pretende demonstrar a veracidade dessa afirmação, como também demonstrar isso à luz da Bíblia.
 
Entendendo o projeto de lei

    O Projeto de Decreto Legislativo 234/2011, de autoria do Deputado João Campos (PSDB-GO), visa derrubar a Resolução N° 1 de 1999 do Conselho Federal de Psicologia, que proíbe os psicólogos de tratar quem procura ajuda para deixar o homossexualismo, sendo o único Conselho de Psicologia do mundo a ter uma resolução como essa. Além de censura a profissão, isso nos leva a entender que o CFP entende o homossexualismo como questão de nascença e não como questão de vivência.
   
A mídia e a falácia da Cura Gay

    Logo após a aprovação no dia 18 de junho, diversas redes de informação classificaram o projeto com o nome de Cura Gay. Eles dizem, que o projeto visa tirar o homossexualismo da pessoa e que as obrigariam voltar a ser hétero. Também entendem que a CDHM classifica o homossexualismo como doença e que precisa de cura, levando muitas pessoas a protestarem, já que estávamos num momento de manifestações pelo Brasil.
    Devemos entender que essa ideia de "Cura Gay" não é atual. O programa Custe o que custar (CQC), no ano passado, exibiu em sua série "Documento da Semana" uma reportagem sobre o assunto, em que todos os repórteres do programa entrevistaram deputados e personalidades sobre o assunto. Todos disseram que o homossexualismo é questão de nascença e não de escolha. Veja o vídeo abaixo:

    Em outra reportagem que foi ao ar esse ano, o programa entrevistou o pastor Silas Malafaia sobre o assunto. Na mesma reportagem o presidente da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transexuais (AGBLT), Toni Reis, ridicularizou um verso de adoração dos cristãos, utilizando linguagem de duplo sentido e usando a música de forma hostil. A reportagem encontra-se abaixo.

    Além do mais, logo após o Projeto ser aprovado a mídia já o classificou como cura gay. Prestem atenção que é a mídia que classificou o projeto como Cura Gay, não Feliciano, nem o projeto a si mesmo classifica. Então, se tem alguém falando que o homossexualismo é doença é a Globo, o CQC, o Danilo Gentili e todos os outros que trabalham na mídia. Que digam as piadas infames que são feitas em muitos programs de humor dessas emissoras.

    O homossexualismo e a Bíblia

     Vamos agora avaliar o que a Bíblia diz sobre esse assunto. A Bíblia mostra bem claramente que o homossexualismo não é doença para que se precise de cura, nem uma condição psicológica para que a pessoa precise de tratamento. É um pecado e a pessoa precisa de libertação. Deus quer que todos os homens se salvem (I TM 2:4) e para isso precisam ser livres do mal que estão dentro de si.
     Paulo, em sua carta a igreja de Roma, nos mostra que o homossexualismo é torpeza, a devastação moral, o último estágio antes da nação ser abandonada por Deus. Veja o que ele escreve: "Pelo que Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as sua mulheres mudaram o uso natural, no contrário a natureza. E, semelhantemente, também os varões, deixando o uso natural da mulher, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, varão com varão, cometendo torpeza, e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro" (RM 1:25,26).
     Fica claro que Deus espera que o casamento seja entre homens e mulheres. O homossexualismo sempre foi condenado por Deus (LV 18:22). Quando pregamos, não falamos contra os homossexuais, mas sim contra a prática, o pecado, que deixa seu praticante longe de Deus.
     Quanto as declarações digo a Jean Willys que nenhum homossexual é ou será agredido oral ou fisicamente para deixar seu ato. Iremos pregar para que ele ouça o amor de Cristo e seja envolvido por ele. Jamais agrediremos ninguém ou forçaremos ele deixar suas práticas, pois isso não é bíblico, pois o próprio Deus diz: "Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o SENHOR dos Exércitos" (ZC 4:6b). 

Eleições, a causa gay e o eleitorado evangélico

     Em outubro próximo iremos as urnas para eleger nossos representantes no Congresso e nosso Presidente e devemos observar o que está acontecendo. Não estou dizendo aqui nem fazendo campanha pra nenhum candidato. Longe disso, esse não é meu propósito. Mas vou deixar claro que temos que prestar atenção. Ver qual candidato é mais a favor da causa cristã, de forma a defendê-la em Brasília.
     Além do mais, os homossexuais e sua causa gay vão fazer de tudo para queimar a imagem de candidatos evangélicos. Cabe a nós ter discernimento e tomar a melhor decisão, sem nos deixar influenciar, pois somos uma grande porcentagem do eleitorado e tentarão nos convencer de todos os jeitos. Então, tomem a decisão baseados na Bíblia, nos acontecimentos atuais.

Conclusão

      De qualquer forma, os evangélicos serão atacados por suas opiniões. Não temos, pois, que deixar de pregar a verdade por causa disso. Devemos sim orar para que cada vez mais pessoas ouçam a verdade e se libertem de seus pecados. Vamos abrir os olhos de todos que não somos preconceituosos e sim pregamos a palavra santa e imutável do Senhor. Não queremos a  Cura Gay. Queremos a salvação e a libertação deles. Shalom a todos.

Bibliografia:
Depois deixarei detalhadamente todas as fontes que achei.

segunda-feira, 15 de julho de 2013

Recado aberto aos leitores

    Shalom a todos, por motivos de força trabalhista o Blog A Bíblia diz deu uma parada em suas postagens. Preciso refazer meu tempo, mas já tenho preparado o material para os próximos estudos, como o que tratarei sobre a cura gay a luz da Bíblia. Até lá não deixem de ler e buscar mais de Deus. 

segunda-feira, 24 de junho de 2013

Como cristãos, devemos participar de manifestações como o Movimento do Passe Livre?

    Há algumas semanas manifestações tem ecoado de norte a sul do país. Pessoas com reivindicações diferentes, ideais diferentes, mas com a mesma intenção, se pronunciar contra o auto custo de vida do brasileiro. Ao mesmo tempo vemos pessoas se aproveitarem da situação para promoverem baderna. Esse estudo visa a responder se o cristão deve ou não participar de movimentos desse tipo.
    O primeiro ponto que quero destacar é que somos cidadãos e devemos participar da vida pública do nosso país. Quando vemos pessoas indo as ruas não devemos criticar ou julgar e sim procurar saber qual o motivo da manifestação, por que eles estão se reunindo, até onde pretendem chegar com isso.
    Nesse momento vemos pastores usarem textos sagrados como Romanos 13-1:7 e Tito 2:1-4, dizendo que manifestar é pecado. Sem querer criticar esse ponto de vista, que é verdadeiro em partes, temos que saber que a manifestação, quando pacífica e que exigem reformas importantes para a vida comum, devem ser bem vistas. Quando fomos as urnas demos um voto de confiança que eles não cumpriram, agora estão vendo o que está acontecendo.
Manifestantes do Movimento Passe Livre. Movimento
abaixou o preço das passagens em SP.
    Existem alguns textos bíblicos que merecem destaque nesse momento. Um deles foi escrito por um experiente no ramo da autoridade, o rei Salomão, que em sua imensa sabedoria disse: "Quando os
 justos se engrandecem o povo se alegra, mas, quando o ímpio domina, o povo suspiro" (PV 29:2). Você pode pensar que isso não tem nada a ver, mas veja o mesmo texto na Nova Tradução da Linguagem de Hoje (NTLH): "Quando os honestos governam, o povo se alegra; quando os maus dominam, o povo reclama". Vemos que isso é algo já falado na Bíblia há milhares de anos.
    Um ponto interessante é que foi uma manifestação popular pelo alto custo de vida que dividiu o reino de Israel em dois. O texto bíblico diz: "E foi Roboão para Siquém, porque todo o Israel veio a Siquém, para o fazerem rei. E sucedeu, pois, que, ouvindo-o Jeroboão, filho de Nebate, estando ainda no Egito (porque fugira de diante do rei Salomão e habitava Jeroboão no Egito), enviaram e o mandaram chamar; e Jeroboão e toda a congregração de Israel vieram e falaram a Roboão, dizendo: Teu pai agravou o nosso jugo; agora, pois, alivia tu a dura servidão de teu pai e o seu pesado jugo que nos impôs, e nós te serviremos" (I RS 12:1-4). Observamos o povo procurando viver melhor e falando diretamente ao rei. A resposta do rei nós conhecemos, ele não só se recusou a baixar os impostos, como disse que os aumentaria mais. Resultado: o povo se revoltou e pôs Jeroboão rei sobre as Dez Tribos que formariam o Reino do Norte.
    É portanto legítimo a reivindicação popular. Porém devemos tomar cuidado com a violência. Vemos (com excesso, diga-se de passagem), as emissoras de TV mostrando imagens de vandalismo e violência. O cristão jamais deve quebrar, incendiar, saquear ou fazer qualquer outro ato que vá contra a Lei. Jesus mandou "dar a César o que é de César" (MT 22:21). Daniel confessou diante do rei não ter nada contra a lei divina e humana (DN 6:22). Assim sendo, ao quebrar ele está dando um péssimo testemunho, diante da tão grande nuvem de testemunhas (HB 12:1).
    Outro ponto importante é que devemos procurar nossos direitos. Paulo, ao ser preso, fez uso de seu direito na hora certa, no lugar certo. A Bíblia diz: "O carcereiro anunciou a Paulo estas palavras, dizendo: Os magistrados mandaram que vos soltasse; agora, pois, saí e ide em paz. Mas Paulo replicou: Açoitaram-nos publicamente, e, sem sermos condenados, sendo homens romanos, nos lançaram na prisão, e agora, encobertamente, nos lançam fora? Não será assim; mas venham eles mesmos e tirem-nos para fora" (AT 16:36,37). Sabemos que o cidadão romano não podia ser açoitado sem ser condenado e vemos Paulo fazer uso desse direito. Portanto, devemos sim buscar os nossos direitos e procurar vivermos em paz.
    Além do mais, nós como cristãos devemos fazer mais além de ir as ruas. Devemos orar pela paz da nossa cidade (JR 29:7), por todos os que estão em eminência (I TM 2:1,2), temer ao rei (I PE 2:13) e pagar nossos impostos (RM 13:7). Por isso, o nosso papel na sociedade é dar bom testemunho, para que o adversário não tenha o que dizer de nós (TT 2:8). Vimos nas manifestações o fim do cabresto dos partidos, mostrando que as pessoas que protestam tem várias ideologias.
    Não temos, pois, que ficar parados. Devemos ir a luta. Não com violência, não com ameaças, mas sim com a Bíblia, com as orações, com a santidade. Oremos para que o Brasil viva em paz e que possamos mudar a vida de nosso país, sabendo que "Como ribeiros de águas, assim é o coração do rei na mão do SENHOR; a tudo quanto quer o inclina" (PV 21:1). Evangélicos de todo Brasil, vamos a luta. Shalom a todos.

Bibliografia:
STAMPS, Donald, Bíblia de Estudo Pentecostal, Rio de Janeiro, CPAD, 2008.
HAYFORD, Jack, Bíblia de Estudo Plenitude para Jovens, Barueri, SBB, 2010.
http://www.verdadegospel.com/manifestacoes-no-brasil-pr-silas-malafaia-comenta/
http://passapalavra.info/2009/06/6927
http://doa-a-quem-doer.blogspot.com.br/2013/06/crente-pode-ir-manifestacao-ou-deve.html

quinta-feira, 20 de junho de 2013

"Apostolado Matriarcal", o novo dom ministerial dado por Renê Terra Nova

    No último domingo, Renê Terra Nova, fundador do Ministério Internacional da Restauração, inovou ao ungir sua mãe como "apóstola matriarca", fazendo dela uma pessoa com cargo importante dentro da sua igreja. Esse estudo tem como objetivo demonstrar o que a Bíblia diz sobre o assunto.
    O primeiro ponto que quero mostrar nessa postagem é como Renê está longe das Escrituras. Veja o que o apóstolo Paulo disse sobre dons ministeriais:"E ele mesmo deu uns para apóstolos, e  outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores" (EF 4:11). Observamos que o texto não traz o cargo "Patriarca". Sendo assim, isso não passa de uma ideia sem fundamento bíblico.
Mãe Terra Nova chorando após unção
    Mas agora ele foi além. Ele disse no momento da unção de sua mãe: "Hoje será Reconhecida Apóstola Matriarca a mulher do útero profético apostólico. Guiomar Terra Nova. Obrigado Senhor, por essa mulher de avivamento!!". Isso é um absurdo, além de não ter fundamento bíblico, é uma afronta ao Senhor, pois sua mãe pode virar uma espécie de ídolo em seu ministério.
    Se observarmos bem, vemos como ele se acha o líder escolhido. Ele chamou sua mãe de a "mulher do útero apostólico". Na Bíblia não vemos Jesus ungindo sua mãe com essas credenciais. Para falar a verdade nem mesmo os apóstolos fizeram isso com suas mães. A única menção a Maria foi feita por sua prima Isabel, mas não em forma de unção e sim de reconhecimento por trazer ao mundo o  Salvador (LC 1:42-45). Para muitos há riscos dela ser adorada como Maria, no Catolicismo, ou como a Vó Rosa, na Igreja de Aldo Bertoni.
Rene Terra Nova, "patriarca" que ungiu
sua mãe
    Renê Terra Nova segue a linha dos grandes heresiarcas. Se diz escolhido e faz coisas que são abomináveis aos olhos de Deus. ao ungir sua mãe ele preparou para que todos a adorem, a cultuem, sendo que não existe apóstolo mulher na Bíblia, eram todos homens. Além do mais, prega como se sua mãe fosse a única mulher capaz de trazer um profeta ao mundo. Está fazendo de tudo para ser um Novo Cristo (MT 24:4,5).
    Outro ponto que quero salientar é o fato dele ser chamado de Patriarca por seus seguidores. Os únicos com esse título na Bíblia são Abraão, Isaque e Jacó, por darem origem a nação de Israel. O nosso Senhor nos alertou sobre isso , dizendo: "E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque um só é o vosso Pai, o qual está nos céus" (MT 23:9). Por conseguinte, qualquer que se declarar pai, seja direta ou indiretamente, está assumindo um papel exclusivo de Deus.
    Muito bem, Terra Nova inventou mais uma bizarrice e se pôs no lugar do Espírito Santo criando ministérios. Devemos seguir a Bíblia e não homens. Oremos para que ele venha reconhecer Cristo como  Patriarca e que seus seguidores saiam dos enganos, pois como disse Jesus: "Deixai-os; são condutores cegos; ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova" (MT 15:14). Todos estão caídos faz tempo. Shalom a todos.

Bibliografia:
STAMPS, Donald, Bíblia de Estudo Pentecostal, Rio de Janeiro, CPAD, 2008.
http://noticias.gospelprime.com.br/mae-rene-terra-nova-apostola-matriarca/
http://noticias.gospelmais.com.br/pastor-cre-jesus-patriarca-rene-terra-nova-18637.html

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Rede Record denigre imagem casta de José

    A minissérie José do Egito é a carta da Record para conseguir mais prestígio entre os evangélicos brasileiros. Depois de A História de Ester, Sansão e Dalila e Rei Davi, que foram marcos de audiência, a série atual conta a história de José, 11° filho de Jacó, vendido por seus irmãos e que, mais tarde, se torna governador do Egito.
José do Egito, em sua vida adulta, trama mente sobre relação
com Asenate.
    Mas em meio ao desenrolar da trama o que vemos é uma forma errada de interpretar a história bíblica. Após conhecer Asenate, que se prepara para ser adoradora do deus Seth, José perde a cabeça. Em alguns episódios houve até cenas de beijos entre os dois. A paixão é tanta, que ela deixa o sacerdócio atraindo a maldição dos deuses e a fúria dos egípcios.
   O que quero deixar aqui é uma exposição de como a Record tem denigrido a imagem de José. A própria Bíblia é clara quando diz: "E aconteceu, depois destas coisas, que a mulher de seu senhor pôs os olhos em José e disse: Deita-te comigo. E aconteceu que, falando ela cada dia a José, e não lhe dando ele ouvidos para deitar-se com ela e estar com ela, sucedeu, num certo dia, que veio à casa para fazer o seu serviço; e nenhum dos da casa estava ali. E ela lhe pegou pela sua veste, dizendo: Deita-te comigo. E ele deixou a sua veste na mão dela, e fugiu para fora" (GN 39:8,10,11). Por esse texto compreendemos a força moral de José. Ele se recusou a deitar-se com a mulher de Potifar e teria coragem  e sair beijando uma pessoa que era proibida se relacionar amorosamente?
    Além do mais, o relato do texto em que ele é coroado governador nos faz crer que foi Faraó quem lhe deu Asenate e não que ele já estivesse apaixonado por ela. Leiam : "E chamou Faraó o nome de José Zafenate-Paneia e deu-lhe por mulher a Asenate, filha de Potífera, sacerdote de Om; e saiu José da face de Faraó e passou por toda a terra do Egito" (GN 41:46). Ao ler vemos isso. Quando a Record criou a série esperava ganhar audiência com essa mentira suja e desleal, mas não é bem assim, já que tem perdido audiência semanalmente.
     Não temos, pois, que acreditar na história falsa entre José e Asenate adaptada pela Record. Eles tem que compreender que não é a Bíblia que tem que ser adaptada a série de televisão, mas a série de televisão tem que ser adaptada a Bíblia. Oremos pois, para que a verdade fique nos nossos corações e para que a Record divulgue a verdade dos fatos bíblicos. Shalom a  todos.

Bibliografia:

JR. BOYDER Luther A., Bíblia de Estudo Defesa da Fé, Rio de Janeiro, CPAD, 2010.
http://www.ocanal.org/exibicao-especial-de-jose-do-egito-amarga-o-quarto-lugar-em-audiencia/
http://www.jb.com.br/heloisa-tolipan/noticias/2013/05/23/perdendo-folego-jose-do-egito-renova-recorde-negativo-de-audiencia/
http://mdemulher.abril.com.br/blogs/jorge-brasil/novelas/confira-o-quem-e-quem-da-minisserie-jose-do-egito/

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Seria a colônia em Marte uma tentativa de recriar a civilização?

    Recentemente estava assistindo televisão quando uma notícia me deixou surpreso. A NASA, Agência Espacial Americana, está planejando habitar o Planeta Marte em 2023. Para isso, criará um reality show  e os escolhidos irão morar (para sempre) no Planeta Vermelho. Esta postagem tem como objetivo mostrar como essa viagem é vista pelos olhos do Senhor através da Bíblia.
Marte, o planeta vermelho, sonho de habitação possível
em 10 anos.
    Antes de começarmos temos que conhecer Marte. Ele é o quarto planeta do Sistema Solar, situando-se entre a Terra e o cinturão de asteroides, a 1,5 UA de distância do Sol (ou, seja, a 1,5 distância da Terra ao Sol). Leva 687 dias para dar uma volta completa ao Sol e tem algumas peculiaridades com a Terra como um dia de duração quase igual e quatro estações definidas. Tem aproximadamente metade do diâmetro da Terra e tem 15% de água e quase a totalidade de terras emersas do nosso planeta.
    Sendo observado desde a antiguidade, recebeu o nome do deus Ares, deus da guerra, por causa de sua cor vermelha. Aliás sua coloração é efeito do óxido de ferro (III), popular ferrugem, que existe no solo marciano. Há muito tempo chama a atenção dos cientistas. Ora por sua cor, ora por seus mistérios, várias sondas foram enviadas a Marte com o objetivo de dar informações detalhadas sobre o planeta. Assim vários mistérios foram descobertos, como por exemplo, a existência de águas e calotas polares.
    Mas esse ano a NASA foi além. A ideia de habitação é simplesmente povoar Marte. Milhares de pessoas se inscreveram no programa que escolherá 16 candidatos a possível viagem. Durante 10 anos eles receberão treinamento especial e aprenderão a viver no Planeta. No final o público escolherá 4 deles par airem e viveram para sempre em Marte já que a estrutura para criar viagens entre os dois planetas só será criada daqui a 100 anos. Começa aqui minha reflexão teológica e sociológica sobre essa ideia.
    A Bíblia logo no primeiro versículo nos mostra a vontade de Deus: "No princípio, criou Deus os céus e a terra" (GN 1:1), assim sendo, o foco passa para a Terra, como centro da vontade divina para a existência humana, não sendo outro planeta passível de habitação. Isaías, mais de 3 mil anos depois disse: "Porque assim diz o SENHOR que tem criado os céus, o Deus que formou a terra e a fez; ele a estabeleceu, não criou vazia, mas a formou para que fosse habitada: Eu sou o SENHOR, e não há outro" (IS 45:18). Observe que ele diz que a Terra foi criada para ser habitada. Sendo assim, fugir dela, é fugir do propósito de Deus.
    Todavia, algo está errado. Eles querem povoar Marte com quatro pessoas e negam a Arca de Noé que repovoou a Terra com oito pessoas. Se é possível povoar um planeta desconhecido com quatro pessoas, seria impossível povoar um planeta já habitado, com oito pessoas? Além do mais, o risco de extinção da raça sempre existiu. Você querer salvar as raças simplesmente guardando espécies e mandando para outro planeta se assemelha a um evento bíblico muito conhecido.
   Mas, o que me pergunto é como ficarão as pessoas que para lá irão? Terão que formar uma nova família, novos laços, novas culturas. Será que daria certo? Alguns pontos continuam sem resposta. Primeiro, os animais também serão enviados a Marte? Se forem terão que passar por treinamento e se adaptarem com o Planeta Vermelho. Segundo, em Marte tem bactérias que causam doenças desconhecidas? Pois, sair daqui e ficar doente em Marte é pedir para lacrar o caixão lá mesmo. Além do mais, até se descobrir uma cura seria tarde demais e a primeira população seria esmagada.
    Teria a futura população marciana aparato para produzir seu próprio oxigênio? Eles terão que produzir fora da Terra e viver com ele lá. O interessante de tudo isso é como a humanidade brinca de querer ser Deus (GN 3:5). Isso não passa de uma tentativa de recriar a humanidade. Deus nos criou para habitar e povoar a Terra veja só: "Mas vós, frutificai e multiplicai-vos; povoai abundantemente a terra e multiplicai-vos nela" (GN 9:6). Após o dilúvio o homem recebe a ordem de povoar a Terra . Povoar Marte é fugir da ordem divina e ser alvo de condenação.
    Outra dúvida que eu tenho é: como irão ficar as relações sociorreligiosas deles? É necessário se especificar se os habitantes poderão levar suas crenças ou terão que se adaptar a crença ateísta e tentar fundar uma civilização sem Deus. Caso seja isso, a humanidade estaria se preparando para viver como sempre quis: sem Deus. Seria deixar de lado um mundo criado por um Arquiteto Inteligente, para habitar numa invenção de homens pecadores que querem fugir de Deus. Aonde ficariam também a cultura de uma pessoa? Aonde ficariam as nações? Tudo isso irá fracassar, pois o homem jamais poderá formar uma sociedade perfeita.
    Pois bem, o sonho de habitar Marte está latente. O homem quer fugir de seu Criador, mas Deus irá atrás. Que possamos ter a certeza que Deus criou a Terra para nós e que possamos fazer dela nosso planeta querido. Ao invés de habitar Marte, Deus nos prometeu habitar no céu, onde nos deixou o seguinte: "E Deus limpará de seus olhos toda lágrima, e não haverá mais morte, nem pranto, nem clamor, nem dor, porque já as primeiras coisas são passadas" (AP 21:4). E é esse local que devemos buscar e habitar para sempre. Shalom a todos.

Bibliografia:
STAMPS, Donald, Bíblia de Estudo Pentecostal, Rio de Janeiro, CPAD, 2008.
http://universoastronomia.blogs.sapo.pt/2126.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Marte_(planeta)

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Por quê Deus permitiu a escravidão e as leis sobre isso

    Há 125 anos, no dia 13 de maio de 1888, a princesa Isabel de Bragança promulgou a Lei Áurea, colocando em liberdade milhares de escravos, pondo fim a um dos períodos "mais negros" da história brasileira e dando liberdade a um dos povos que moldou nossa cultura.
Pirâmide social egípcia: veja que os
escravos estão na base.
  Durante toda a história a escravidão foi praticada por vários povos. Em todos eles eram considerados classe inferior, ficando abaixo na pirâmide social, não sendo considerados cidadãos ou parte da sociedade. Eram prisioneiros de guerra ou pessoas que perdiam tudo por contraírem dívidas e eram obrigados a trabalhar até o fim da vida.
    E um dos povos que praticava a escravidão eram os hebreus, ela é praticada desde os tempos do patriarca Abraão (GN 12:5). Em diversas passagens a Bíblia mostra o povo de Deus e sua relação com seus escravos gerando uma pergunta que muitas pessoas fazem: por quê Deus, que sempre clamou pela liberdade, permitiu que seu povo escravizasse os outros? É isso que eu vou responder nesse estudo, demonstrando que a escravidão não é culpa divina.
    Para entendermos isso devemos saber o que é a escravidão: é a prática social em que um ser humano assume o direito sobre outro por meio da força. Sendo assim, o dono tem total condições sobre o escravo como direito a castigá-lo, vendê-lo e até mesmo matá-lo em casos de crimes extremos. Durante as Grandes Navegações a Teologia católica que criou a servidão negra e o silêncio protestante levaram a escravidão africana.
    O Senhor sempre propôs a liberdade. Então por quê seu povo tinha escravos? Temos que entender que a vontade de Deus vem de algo que os teólogos chamam de "revelação progressiva", ou seja, Deus revela a sua vontade de acordo com a capacidade do homem em entender sua vontade, por isso permitiu a escravidão, a poligamia e o divórcio. Além do mais, o próprio povo foi escravo no Egito e isso tirava a ideia de uma sociedade livre.
    Se observarmos a Bíblia vemos que Deus permitiu a escravidão, mas impôs limites para a servidão. Na Lei mosaica vemos princípios básicos. O primeiro: não havia servidão eterna. A Bíblia diz: "Estes são os estatutos que lhes proporás: Se comprares um servo hebreu, seis anos servirá; mas, ao sétimo, sairá forro, de graça. Se entrou só com o seu corpo, só com o seu corpo sairá; se ele era homem casado, sairá sua mulher com ele. Se seu senhor lhe houver dado uma mulher, e ela lhe houver dado filhos ou filhas, a mulher e seus filhos serão de seu senhor, e ele sairá com seu corpo" (ÊX 21:1-4).  Após seis anos eles eram libertados como forma de pagamento do tempo em que serviu. O senhor não podia obrigá-los a ficar.
    Se o escravo quisesse servir a seu senhor, este tinha que fazer o seguinte: "Mas, se aquele servo expressamente disser: Eu amo a meu senhor, e a minha mulher, e a meus filhos não quero sair forro, então, seu senhor o levará aos juízes, e o fará chegar à porta, ou ao postigo, e seu senhor lhe furará a orelha com uma sovela; e o servirá para sempre" (ÊX 21:6,7). Veja que o Senhor deixou mandamento para caso o escravo fosse ficar pra sempre com o seu senhor. Duas coisas são dignas de nota: primeiro, esses são os primeiros mandamentos da lei, demonstrando que isso era importante; segundo, o escravo só podia servir para sempre se quisesse.
Escravos em navio negreiro no período imperial
    Mais abaixo está escrito sobre a punição aos escravos. Vejam só: "Se alguém ferir a seu servo ou a sua serva com vara, e morrerem debaixo da sua mão, certamente será castigado; porém, se ficarem vivos por um ou dois dias, não será castigado, porque é seu dinheiro" (ÊX 21:20,21). Ao lermos essa passagem vemos que se o patrão exagerasse no castigo e o escravo morresse, ele deveria ser punido, mas, caso ao contrário, se morresse depois não seria castigado, pois poderia ser que a morte não fosse em decorrência do castigo.
    Mais a frente o texto diz: "E, quando alguém ferir o olho do seu servo ou o olho da sua serva e o danificar, o deixará ir forro pelo seu olho. E, se tirar o dente do seu servo ou o dente da sua serva, o deixará ir forro pelo seu dente" (ÊX 21:26,27). Quando o senhor feria o escravo de forma que este ficasse inválido, deveria deixá-lo ir embora em paz.
    O profeta Jeremias condenou a prática desleal da escravidão. Após Zedequias mandar o povo soltar os escravos por causa do ano da liberdade, o povo obedeceu e soltou, mas depois mudou de ideia e voltou atrás, levando Deus a ira. Ele proclama a condenação, de forma que até o rei Zedequias estava na condenação, demonstrando que ele estava envolvido. (JR 34:8-22). Vemos que se eles desobedecessem, como desobedeceram, seriam condenados por Deus.
    Na era cristã, temos o exemplo de Onésimo e Filemom. Onésimo fugiu de seu senhor e, tendo contato com Paulo, se converteu. O apóstolo o manda de volta, pedindo a Filemom para que perdoasse o ex-escravo e tratasse ele como irmão em Cristo. O amor cristão está acima de qualquer escravidão. Quem prega a escravidão está pregando contra a Bíblia. (Ler livro de Filemom).
    Pois bem, Deus condena a escravidão, embora tenha permitido pela maldade humana. Ele mesmo disse: "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres" (JO 8:36), demonstrando que, em Cristo, somos livres espiritualmente e fisicamente. Que possamos pregar contra esse mal e ver que Deus faz tudo de acordo com o entendimento do homem. Sejamos, pois, livres. Shalom a todos.


Bibliografia:
http://imperiobrazil.blogspot.com.br/2012/02/escravidao-e-escravatura.html
http://www.coljxxiii.com.br/webquest/caio/caio.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Escravid%C3%A3o 
BERGEN, Robert, Bíblia de Estudo Defesa da Fé, Rio de Janeiro, CPAD, 2010.